quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

IMUTÁVEL LEI




Por um instante, queria parar o meu pensamento
O intelecto ... O encefálico ...
Ser pegadas na praia

Sendo que a vida é ilusão
Nunca se vive ...
Morre-se a cada instante ...
A cada paixão morre-se, sem que mude-se

A imutável lei de ser único, só ...

2 comentários:

Anastácio Soberbo disse...

Olá Neide
Agradeço as suas palavras no meu blogue.Ainda não fumo e mantenho o pensamento positivo para que não volte ao cigarro.
Amiga com esse sorriso tão lindo e alegre que tem em sua foto, estranho este poema... triste? em má hora?
Envio um beijo para a senhora e que tenha um final de semana muito bom.

A.Soberbo

Bill Stein Husenbar disse...

Neide amiga,

Belas as suas palavras e o seu poema é harmonioso, sentido e profundo.

Maravilhoso.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/